•  
 
 
 
 
Deficientes auditivas já estudam na FAIMI
SEGUNDA-FEIRA, 4 DE MARÇO DE 2013
 
 
Encontramo-nos, atualmente, em meio à era da inclusão social, e este é o momento de oferecer a oportunidade para todas as pessoas participarem na distribuição de renda do País. Para que isso aconteça, devemos inicialmente oferecer uma oportunidade de um bom estudo. A Faculdade de Mirassol - FAIMI recebeu, pela primeira vez em sua história, duas alunas com deficiência auditiva, que agora cursam o 1º semestre de Pedagogia.
 
“Não basta apenas termos disciplinas que reflitam sobre a inclusão. Isso precisa acontecer também na prática, para aprimorarmos esse conhecimento”, afirma a coordenadora do curso, professora Dra. Luzia de Fátima Paula. Para auxiliar as estudantes Jackeline Fontes e Aline Evangelista, a IES contratou uma intérprete que acompanha as aulas e serve de ponte entre os as usuárias da Libras – Linguagem Brasileira de Sinais - e as ouvintes, com o objetivo de estabelecer a comunicação entre todos.
 
“Eu trabalho com isso há 10 anos. Fiz magistério e tive contato com surdos nessa época, por isso resolvi fazer o curso de Libras. Quando prestei vestibular, optei por uma faculdade que estudasse a área da deficiência auditiva e comecei a trabalhar em grupos com crianças surdas”, contou a intérprete, Elaine Pereira Rezende. Quando questionada sobre a importância e o sentimento de realizar esse trabalho, ela afirma: “A sensação é muito gratificante, pois a expectativa de fazer uma faculdade é imensa entre elas. Eu acredito, inclusive, que as demais alunas terão outra visão de mundo daqui pra frente”.
 
Existe, de fato, uma política de integração das estudantes que não ouvem com os demais colegas. Em uma aula, por exemplo, a professora especialista Teresinha de Lourdes Fávero realizou uma atividade e dividiu a sala em dois grupos, fazendo questão de que ambas as alunas ficassem separadas. “Eu acho importante que elas participem de todas as atividades. E se esta atividade não estiver de acordo, preciso criar uma maneira de adequá-la e repensar a minha prática. É uma oportunidade de aprendizado também para mim”, declarou Teresinha.
 
As alunas ouvintes procuraram aprender alguns sinais em Libras para se comunicarem com Jackeline e Aline e procuraram deixá-las à vontade o tempo todo.
 
Ao final da atividade, Jackeline desabafou: “Eu tive dificuldade em outras faculdades. Estou tentando começar esse curso há quatro anos, mas sempre encontrei o obstáculo da IES não disponibilizar um intérprete. A FAIMI me deu a oportunidade que eu tanto esperava e nunca estive mais feliz. Aqui os ouvintes interagem, a professora nos aceita e eu finalmente poderei me formar para trabalhar com outras crianças surdas e lhes dar a mesma oportunidade no futuro”, disse. Aline não passou por tantas dificuldades para começar um curso do Ensino Superior, mas fez questão de enfatizar: “Estou muito feliz de estar aqui e quero aprender Pedagogia para me desenvolver”.
 
A FAIMI criou um canal no youtube e nele disponibilizou vídeos gravados com Jackeline e Aline em sala de aula. Para assisti-los, basta clicar em
 

 



 
 
 
 
UNIESP Solidária Biblioteca/
Publicações
TV UNIESP Rádio UNIESP Inclusão
com Arte
Projeto Ambiental EAD Notícias Imprensa Trabalhe
Conosco